Faz algum tempo que não escrevo um post mais sério por aqui. E, na verdade, eu nem queria tocar neste asssunto. Acontece que tenho uma comixão nos dedos que me leva sempre a debitar palavras sobre temas que me incomodam.

O post de hoje é sobre um dos temas que se tem vindo a popularizar na internet nos últimos tempos e que começa, seriamente, a incomodar-me. Falo da aceitação pessoal e da cobrança que os seguidores fazem às influencers/bloggers/youtubers ou qualquer pessoa que produza conteúdo online.

Nos últimos tempos tornou-se comum a criação de conteúdo que apela à aceitação pessoal, ao amor próprio e a gostarmos de nós como somos. Muitas Influenciadoras Digitais começaram campanhas onde mostram um lado mais natural, sem makeup, com roupas mais desportivas e numa vibe mais confortável. E se de um lado muita gente aplaudiu, muitas foram as pessoas que criticaram quando esses “lemas” se tornaram reais. Como o caso da Luisa Sonza, por exemplo, que recebeu inúmeras criticas ao seu peito nesta fotografia.

Ou o caso da Boca Rosa que tanta gente tem criticado porque ela está diferente do que era há anos atrás – falando fisicamente. O que é normal! Ela cresceu e, como o comum mortal, foi mudando. Com a diferença que ela tem mais liquidez para mudar para melhor. Pessoas, todos nós mudamos com o tempo. Se virem uma foto vossa há 2, 5 ou 10 anos atrás, estão iguais? Felizmente eu não! (ahah). Não fiquem ofendidos porque alguém decidiu que queria cuidar mais de si.

As pessoas são hipócritas na internet e, com o tempo, foram-se esquecendo que o respeito é uma coisa que deve ser comum a todos. Esqueceram-se que não basta pedir respeito se respeitarem os outros.

Estamos a entrar numa era em que seja o que for que façamos é motivo de criticas. Quem assumiu uma postura mais descontraída, mais natural  e clean começa a ser criticada por falta de zelo, por não querer saber mais da imagem, por isto, por aquilo…  Quem se impõe e mostra que gosta de produção, quem gosta de plásticas, quem muda o corpo é alvo de criticas porque não se aceita como é. Então gente, como ficamos?

As pessoas esqueceram-se que apenas o dono do corpo deve mandar nele. E que, quando não se tem nada de bom para dizer, devemos ficar calados.

Eu acredito que podemos gostar de nós como somos e ainda assim mudar o que nos incomoda. Isso não invalida nada. Eu, Raquel, gosto de mim como sou. No entanto um dia não me importava de colocar silicone e estou numa luta para perder peso. Qual é o problema? O corpo é meu, faço o que quero com ele e vou continuar a gostar de mim. Sou a favor de plásticas, de mudança, de melhorarmos a única casa certa que temos na vida – o nosso corpo – sem nunca nos esquecermos que devemos gostar primeiro de nós pelo que somos.

Embora saiba que quem se expõe na internet está sujeito a todo o tipo de criticas, continuo a defender que o respeito deveria estar mais presente. E que, acima de tudo, devemos aceitar as pessoas como são.

Talvez este não seja o post mais estruturado aqui do blog mas, como sempre, eu precisava de dar opinião sobre um assunto que me começa a chatear ligeiramente.

Prometo que o próximo post é mais bonitinho!

 

Um beijo, Raquel

Comentários

Related Post

Etiquetas: